4 de out de 2009

Mercedes Sosa.

Alguns arrependimentos marcam para o resto da vida. Muitas vezes você para e pensa: porque não fiz aquilo? Entretanto, é possível que novas oportunidades surjam e você consiga livrar-se deste arrependimento.
Porém, deste eu não conseguirei me livrar. Ano passado, Mercedes Sosa veio a Porto Alegre. Eu sabia do show, poderia ter tentado uma maneira de conseguir o ingresso. Porém, por pura preguiça ou por achar o ingresso “muito caro”, resolvi ficar em casa, mesmo sabendo que talvez seria a última oportunidade de ver “La Negra” ao vivo. E era mesmo.
Hoje, calou-se Mercedes Sosa. Calou-se a voz dos pobres, calou-se a voz daqueles que não tinham voz. Calou-se a maior cantora da América Latina de todos os tempos. Alguém por quem você chora, mesmo sem nunca ter conhecido.
Não é necessário escrever um post longo cheio de palavras de ternura para homenagea-la. Neste momento, o silêncio e o pensamento da falta que La Negra fará entre nós é a maior homenagem.

Duerme, Mercedes Sosa.

Um comentário: